Antônio Francisco ” Aleijadinho “

Origem da Família > Freguesia Jesus de Odivelas, localidade que remonta ao século XII.
Avós paternos > João Francisco / Madalena Antunes. Viviam na localidade chamada Pombais. Possível vinda dos dois para Ouro Preto, registro de recebimento de terra em 1721, existe um documento na Matriz de Antônio Dias, de 11/ Dezembro /1734, que foi batizada uma menina com nome de Maria e padrinho João Francisco. Tiveram 05 filhos : 03 homens, 02 mulheres, Manoel Francisco, foi o 3º filho. Chegaram ao Brasil em data anterior a 1720.

Antônio Francisco Pombal > tio de Aleijadinho, nascido em Pombais, batizado em 24/Abril/1689, em Odivelas, na Matriz de São José dos Carpinteiros. Em 23/ Dezembro /1740, assumi com a Câmara de Vila Rica, a obrigação de terminar a carpintaria de uma Igreja, provavelmente a Matriz do Pilar em Ouro Preto. Foi examinado em 1715, com 26 anos, em Lisboa, e aprovado como Mestre Carpinteiro pela Irmandade de São José Patriarca.
Thereza > batizada em 01/ Abril /1694 na Matriz de Odivelas.
Francisco Antônio Lisboa > batizado em 15/ Novembro /1699, na Matriz de Odivelas. Era exímio entalhador, marceneiro e projetista.
Antônia > batizada em 01/ Novembro /1702, na Matriz de Odivelas.

Manoel Francisco Lisboa
> batizado em 24 / Fevereiro /1697. Em 1724, Manoel já havia estabelecido sua oficina de carpinteiro em Vila Rica. Em 1729, ostentava o título de Mestre Carpinteiro. Teve três filhos com Isabel, preta, forra. O 1º foi José, batizado em 06/ Dezembro /1734. Manoel casou-se em 07/ Dezembro /1738, na Matriz de Conceição de Antônio Dias, com Antônia Maria de São Pedro, portuguesa. Manoel faleceu em 07/ Junho /1767, sepultado na Matriz de Conceição de Antônio Dias na Cova do Santíssimo Sacramento, com hábito de Terceiro da Ordem Terceira do Carmo e teve 40 missas póstumas. Alguns bens passaram para seu filho o Padre Félix Antônio Lisboa.
Manoel e Antônia tiveram os seguintes filhos :

Maria da Conceição Lisboa > nascida por volta de 1742. Faleceu em 27/ Julho /1824 sepultada dentro da Igreja do Carmo em Ouro Preto, pertenceu a Irmandade Carmelita.
Ana > batizada em 29 / Maio /1743, na Matriz do Pilar em Ouro Preto, faleceu antes de 1778.
Uma criança do sexo masculino que faleceu antes de ser batizada. Sepultada na Matriz do Pilar em Ouro Preto em 29/ Abril /1747.
Joaquina Francisca Lisboa > nascida por volta de 1749, costureira, sabia escrever, pertencia a Irmandade do Carmo, faleceu em 29/ Maio /1832.
Madalena Tereza de Jesus > nascida por volta de 1753. Falecida em 17/ Junho /1817, sepultada na Matriz de Conceição de Antônio Dias.
Padre Félix Antônio Lisboa > nascido em Ouro Preto em 12/ Junho /1755, batizado na Matriz de Conceição de Antônio Dias em 17 /Junho /1773. Ingressou na Venerável Ordem 3ª do Carmo em Vila Rica. Faleceu em 30/ Março /1838.
Izabel > mãe de Aleijadinho, foi sepultada na Matriz de Antõnio Dias, em Ouro Preto no dia 19/ Março /1747.

Aleijadinho nasceu no Arraial do Bom Sucesso, Vila Rica, ainda existe controvérsia sobre o ano de nascimento, seria 1730 ou 1738, sendo que a última é mais aceitável pelos historiadores, que subtraindo o ano nascimento com o de falecimento, temos 76 anos de vida. Sabia ler e escrever. Geralmente cobrava meia oitava de ouro por dia. Em 1760, tenha sido provavelmente quando Aleijadinho conseguiu o posto de Mestre, como Carpinteiro, Escultor e Arquiteto. A partir deste ano, começa a aparecer sua atuação autônoma.
Oficiais escultores que trabalharam com Aleijadinho > Justino Ferreira de Andrade e Manoel Gonçalves Bragança.
Período de grande produção do artista > 1766 a 1808.
Sintomas da doença começaram a aparecer em 1777, aos 39 anos de idade.
Em 05/ Agosto /1772, Aleijadinho se filia a Irmandade de São José Patriarca de Vila Rica. Foi Juiz da Irmandade Nossa Senhora da Boa Morte, da Paróquia de Antônio Dias, no qual foi enterrado no altar destina à Irmandade na Matriz de Conceição de Antônio Dias.
Estátuas “ Leões de Essa “ > seriam para o mausoléu de D. Pedro III, de 1787, tem recibo assinado pelo Padre Félix.
Em 1775, Aleijadinho se relaciona com Narcisa Rodrigues da Conceição, crioula forra, tendo um filho com ele, chamado Manoel, em homenagem ao pai, que foi batizado na Catedral do Rio de Janeiro em 23/ Janeiro /1777.
Possíveis doenças > Escorbuto; Sífilis; Lepra; Gripe Zamparina; Artrite; Porfiria; Poliomielite; Hanseníase.
Tempo encamado > Dezembro/1812 a Novembro/1814. Período que esteve morando com sua nora Joana Correa de Araujo.
Exumações :
1ª > 1930 > (mistura de várias ossadas, 03 adultos e 01 feto).
2ª > 1971 > Médico Paulo Silva Lacaz
3ª > 1998 > Médico Geraldo Barroso de Carvalho (exames mais detalhados).
Incentivadores. Profissionais que inspiraram Aleijadinho :
João Gomes Batista > Mestre, desenhista.
José Coelho Noronha > Escultor e entalhador.
Francisco Xavier de Brito > Entalhador.
Antônio Francisco Pombal > seu tio. Entalhador.
Francisco Antônio Lisboa > seu tio. Entalhador
Perdeu seu escravo Maurício em Congonhas, com que dividia seus ganhos, era o preferido (entalhador). Tinha mais dois escravos : Januário (levava e carregava ele no burro ou cavalo) e Agostinho. Tinha também uma escrava com o nome Ana.
Falecimento em 18/ Novembro /1814.

1ª Biografia > Rodrigo José Ferreira Bretas em 1858.
Professor de Filosofia, inventor da máquina de Tear, Secretário do Governo, residia em Bomfim do Paraopeba, recebeu incentivo financeiro do Imperador D.Pedro II para seu invento. Em 1853 funda a Associação Palestra Literária para encontros diversos para não perder o dinamismo cultural. Funda também em 05/Outubro/1857 o “ Ensaio Literário e Industrial “.
Escola na época : Liceu Mineiro, Bretas, foi titular na disciplina de Retórica, Gramática e Filosofia da Língua Nacional. Bretas publicou a biografia de Aleijadinho no Jornal Correio Oficial de Minas.
1º Jornal de Minas > Compilador Mineiro > 1823
2º Jornal de Minas > Abelha do Itacolomy > 1824
Biblioteca Pública de Ouro Preto > 1832 > inauguração com discurso de José Bretas. Faleceu em 27/ Agosto /1866, sepultado na Matriz do Pilar em Ouro Preto.
Manuscrito encaminhado ao IHGR, por Joaquim Mariano Augusto de Menezes, então redator do Correio Oficial de Minas, falando da vida e obra do Aleijadinho.

Fontes pesquisadas :
O Aleijadinho Revelado – Estudos históricos sobre Antônio Francisco Lisboa.
Marcos Paulo de Souza Miranda

A Biografia de Aleijadinho e seu Contexto
Maria Francelina Silami Ibrahim Drummond

Internet : pesquisa entre textos e vídeos.

Gostaríamos de ler seu comentário, é muito importante saber a sua opinião.